HISTÓRICO


Com a chegada da Companhia Siderúrgica Nacional e começo da exploração do carvão, por volta do ano de 1941, surgiu a primeira mina de carvão ( galleria ) e a montagem da primeira escavadeira. Junto iniciou-se a construção, em massa, de casas operarias em Rio Fiorita.

Em homenagem a CSN, o distrito passou a se chamar SIDERÓPOLIS e a praça da Matriz com o nome de Nova Belluno.

SIDERÓPOLIS continuava crescendo, tendo como principais fontes de riqueza a agricultura e mineração de carvão, mas essa riqueza não ficava toda aqui, pois SIDERÓPOLIS e Treviso eram Distritos do Município de Urussanga.

Teve inicio, então, um movimento de luta pela emancipação de SIDERÓPOLIS que só terminou no dia 19 de dezembro de 1958, quando o então governador do Estado, Heriberto Hulse, assinou a lei n 380 de 19/12/58 que desmembrava SIDERÓPOLIS politicamente emancipado e jurisdicionado a Comarca de Urussanga.

Com a emancipação de SIDERÓPOLIS, Treviso, que já era Distrito de Urussanga, desde 02/07/29, passou a pertencer ao município de SIDERÓPOLIS, permanecendo assim ate o dia 08/07/95 quando a lei complementar n 9.864/95 criou o município de Treviso, ficando assim emancipado.

SIDERÓPOLIS teve como seu primeiro prefeito o Sr. João Caruso Mcdonald ate o dia 31/10/59 quando foi eleito o primeiro Prefeito pelo voto direto (eleito pelo povo), Manoel Minelvina Garcia.

Após a crise no setor carbonífero, que atingiu várias cidades do Sul de Santa Catarina, o município de Siderópolis hoje não depende mais de apenas uma fonte econômica.

Com destacada produção de carnes, principalmente de aves e de suínos, o município possui também sustentação econômica na produção agrícola, com destaque para as culturas de banana, arroz, feijão, milho, mandioca café e fumo. 

Colonizado por descendentes de italianos, o município conta com programas que visam preservar os costumes e tradições de seus antepassados. 

O município de Siderópolis possui uma área de 5.900 hectares de terras tomados pelas escarpas da Serra geral, onde esta localizada a Reserva Biológica Estadual do Aguaí.

Na área industrial conta ainda com minas de extração de carvão, com indústria química, serralharias e pequenas indústrias.
 
TURISMO

Como atrativo natural, destaque para o Balneário Ghelere, nas margens do Rio São Bento, onde há cachoeiras e excelente infra-estrutura, inclusive com camping com banheiros e vestiários. É muito bem freqüentado pelos moradores da região, principalmente de Criciúma, que vão até lá passar o final de semana. 

Cachoeira do Bianchini:
Localizada no Rio Jordão, na comunidade de Jordão Médio, com aproximadamente 12 metros de altura.
Cachoeira do Rio Fiorita:
Localizada na comunidade do Montanhão, possui uma altura aproximada de 20 metros Encosta da Serra
Gruta Nossa Senhora Rainha do Universo
Foi construída, em 13/12/1970.
Janela Furada
Pedra com furo no centro, lembrando uma janela furada. Localizada nas Encostas da Serra Geral, entre as comunidades de São Pedro e Jordão Alto.

Praça e Igreja da Matriz
A primeira em honra a São Roque, era um barracão. A Segunda construída em madeira, em 1894 já resgatava o marco de fé vivido em Beluno na Itália, em honra a São João Batista; em alvenaria foi levada a paróquia em 17/01/1947. Em 1960, foi demolida para dar lugar a praça da matriz. E ao lado foi construída a Nova Matriz pelo orionita Padre Tarcísio Lovo que a inaugurou em 11/10/1964.
Túnel
Corta o morro Santa Luzia e Ex-Patrimônio e dá vazão a extensão da estrada de ferro Dona Teresa Cristina, de Criciúma a Siderópolis. Tem 300 metros de comprimento e foi construída pela SOCIMBRA, em 1941.
Monumento ao Imigrante
Pedra assentada aí em 1966 em frente ao seminário São Pio, para homenagear os imigrantes que tão laboriosamente lutaram e construíram esta comunidade.
Igreja Santa Ana
Foi construída aproximadamente em 1921, em sistema de mutirão pela comunidade do Rio Albina. A imagem foi trazida da Itália através do consulado italiano em Curitiba. Hoje esta toda restaurada.
Casa de pedra
Foi construída por João Cercená em 1914, porque havia no local muita pedra e podia realizar o sonho de construir uma réplica das famosas casas de pedras da Itália. Hoje pertence a família Tramontin.
Balneário Fontanella
Localizado na comunidade do Rio Jordão Baixo, possui um potencial turístico de dar inveja a muitos locais da região.
Barragem de Siderópolis
Irá resolver o problema social do abastecimento de água na região, beneficiando os municípios de Criciúma, Siderópolis, Forquilhinha, Içara, Maracajá e Nova Veneza. a construção da barragem do Rio São Bento irá alanvacar grande parte da economia local.
Monumento de Gemellaggio
Os Zoldanos, pioneiros de Rio Jordão, fazem um pacto de afinidade de parentesco, de tradições e realizações com os zoldanos de terra de origem. “Gemellaggio” é unir-se em fraternidade, para que nossos filhos cresçam na luz do saber, no bem da prosperidade e no amor a nossa terra. Forno di Zoldo fez um convênio com Siderópolis, por considerar “cidades irmãs”. Faz sentido, afinal, quase todas as famílias que colonizaram Siderópolis (chamada Nova Bellun) e, por sua vez, Rio Jordão, emigraram dali, no final de 1800
Obs: Os passeios de Maria Fumaça tem saída sempre de Tubarão, informações pelo fone +55(048)6220877 (Departamento de Turismo)

 

Nós apoiamos:
Dilma 13

Dados do município

Microregião: Microrregião da Região Carbonífera
Secretaria regional: Criciúma
Área: 262,7 km²
Data de criação: 19/12/1958
Data de instalação: 31/01/1959
Data de comemoração: 19/12
Lei de criação: 380 - 19.12.1958
Município de origem: Urussanga
Altitude: 147 m
Latitude: 28°35\'52
Longitude: 49°25\'28
População: 13081 habitantes (9871 eleitores)
PIB: 132,04


Dados da prefeitura
Prefeito: Douglas Gleen Warmling (PP)
Vice-prefeito: Sergio Francisco Giongo (PDT)
Endereço: Av. Presidente Dutra, 01
Bairro: Centro
CEP: 88.860-000
Telefone: (48) 3435-3188
Fax: (48) 3435-3188
E-mail: pmspolis@terra.com.br



Bandeira


Brasão